Home EPIs Uso de EPI: por que é importante para a segurança?

Uso de EPI: por que é importante para a segurança?

Diante de tantos riscos presentes no ambiente de trabalho, o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) vem se tornando cada vez mais importante para manter a saúde e bem-estar dos colaboradores.

Por serem obrigatórios, eles geram intensos debates entre os trabalhadores e acabam sendo esquecidos ou deixados de lado por quem mais precisa de sua proteção.

Mas a verdade é que em apenas um segundo, um EPI utilizado corretamente pode evitar ou minimizar danos para a vida toda, ou até mesmo acidentes fatais

Por isso, neste post, vamos explicar exatamente o que é um Equipamento de Proteção Individual, quais são os tipos mais comuns e por que empregadores e colaboradores devem se conscientizar sobre sua relevância. Continue a leitura para conferir!

O que são EPIs?

De acordo com a Norma Regulamentadora 6 (NR6), que regula a utilização de EPIs no Brasil, “considera-se Equipamento de Proteção Individual todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho”. 

Ou seja, trata-se de todo equipamento que garante o bem-estar dos colaboradores diante da possibilidade de acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais

São muitas as áreas (construção civil, indústria e saúde, por exemplo) que utilizam EPIs em suas rotinas e a segurança visa evitar desde os riscos físicos e mecânicos até os biológicos e químicos

Sendo assim, cada trabalhador necessita de um conjunto específico de equipamentos para desenvolver suas atividades e precisa usá-los durante todo o expediente, mesmo que a empresa esteja com sua Análise Preliminar de Riscos em dia.

Normalmente, o responsável por mapear os EPIs necessários para cada setor é o técnico de segurança do trabalho

No entanto, é o empregador que deve fornecer esses dispositivos (de forma gratuita), enquanto o colaborador precisa ter a consciência não só de utilizá-los, como também de mantê-los conservados.

Em relação à garantia de qualidade, os EPIs sempre devem vir acompanhados do Certificado de Aprovação (CA): um pequeno código, emitido pelo Ministério do Trabalho, que garante sua eficácia na proteção contra acidentes.

Quais são os tipos de EPIs mais comuns?

Existem diversos tipos de EPIs destinados a cada uma das áreas de trabalho que oferecem riscos à saúde e segurança dos colaboradores. 

Dessa forma, a NR6 criou uma lista para elencá-los de acordo com as necessidades de cada parte do corpo. Veja, de maneira geral, como fica essa divisão:

  1. EPI para proteção da cabeça: capacetes, capuz ou balaclava;
  2. EPI para olhos e face: óculos, protetor facial e máscara de solda;
  3. EPI para proteção auditiva: protetor auditivo;
  4. EPI para proteção respiratória: respirador purificador de ar não motorizado ou motorizado, respirador de adução de ar comprimido, máscaras respiratórias e respirador de fuga;
  5. EPI para tronco: vestimentas e coletes à prova de balas;
  6. EPIs para membros superiores: luvas, creme protetor, mangas, braçadeiras e dedeiras;
  7. EPIs para membros inferiores: calçado, meia, perneira e calça;
  8. EPIs para corpo inteiro: macacão e vestimentas de corpo inteiro;
  9. EPIs para proteção contra quedas com diferença de nível: cinturão de segurança com dispositivo trava-queda ou talabarte.

 

Por que o uso de EPI é tão importante?

Os EPIs são os grandes responsáveis pela promoção de ambientes mais seguros para os colaboradores. 

Infelizmente, os acidentes de trabalho ainda são muito comuns no Brasil e geram prejuízos não só para os empregadores, como também para os próprios trabalhadores e suas famílias.

Segundo dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, divulgados pelo Fundacentro, o nosso país registrou cerca de 17 mil mortes e mais 4 milhões de acidentes no período entre 2012 e 2018

São números preocupantes, mas que demonstram o quanto o uso de EPI ainda precisa ser reforçado dentro das empresas e, principalmente, junto aos trabalhadores. 

A utilização de um simples capacete, por exemplo, mesmo que seja desconfortável a princípio, pode fazer toda a diferença em uma situação de risco que sequer é percebida pela equipe.

Como conscientizar trabalhadores sobre o uso de EPI?

Muitos colaboradores ainda não entendem completamente por que o uso de EPI é importante para a segurança. Sendo assim, a conscientização tem se tornado cada vez mais essencial nesse processo de adaptação aos equipamentos.

Uma das maneiras mais comuns de fazer isso é por meio do Diálogo Diário de Segurança (DDS), com conversas curtas sobre prevenção de acidentes junto às equipes. 

Técnicos de segurança do trabalho têm utilizado esse método não só como forma de orientar sobre o uso de EPI, como também de incentivar a participação dos trabalhadores na recorrente missão de mapear riscos. 

Isso, inclusive, faz com que eles se sintam parte do processo e também valorizem mais a própria saúde e proteção.

Por isso, aqui na Equipaminas, nós desenvolvemos e-mails semanais com dicas de temas de DDS para debater com as equipes da sua empresa e mantê-las sempre atualizadas das melhores práticas.

Esse conteúdo facilita o planejamento de assuntos e, inclusive, pode ser adaptado de acordo com a realidade de cada área.

Para participar e começar a receber os nossos e-mails de DDS sobre uso de EPI, basta realizar seu cadastro em nosso site e aproveitar as nossas dicas a cada semana!

Compartilhar:

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *